Quem protege as contas Grafeno? Entrevista com Grafener – Dandara Aranha

Sumário do artigo

*Este conteúdo foi idealizado e desenvolvido por Gabriela Moreira, analista de comunicação interna do Time de Gente & Cultura da Grafeno.

Dos bancos tradicionais a fintechs, a segurança é levada a sério. Se antes, esquemas e assaltos eram físicos, seja por engenharia social – que até hoje é uma prática comum – ou por intimidação, os golpes digitais explodiram na Era do Pix

Segundo a multinacional de softwares de segurança cibernética Fortinet, foram registrados mais de 88,5 bilhões de tentativas de ataque hacker só no Brasil em 2021, o segundo maior em toda a América Latina. E é nesse mar de desafios que a Grafeno navega diariamente, contando com a experiência de Grafeners como Dandara Aranha, Head de Segurança e Riscos.

A Dandara é uma das responsáveis por manter a segurança nas contas Grafeno e está conosco desde o começo, em 2019. Além disso, ela já figurou em portais de notícias, como Folha de São Paulo, e colaborou aqui mesmo no Blog da Grafeno, abordando cibersegurança. 

Você pode conferir nos links abaixo:

 

 

O Time de Gente & Cultura convidou a Dandara para falar um pouco sobre sua trajetória e dar dicas para quem também deseja começar em tecnologia:

Nós da Grafeno nos importamos muito com a história que cada Grafener tem para contar, conte-nos um pouco da sua: 

Eu me chamo Dandara Pereira Aranha, mas aqui na Grafeno geralmente é Dands ou Dan. Sou natural de Luziânia, Goiás, onde moro atualmente. 

Nos conte algo que a maioria das pessoas não sabem sobre você:

Já morei nos Estados Unidos por quase dois anos, entre 2014 e 2015. Foi uma das melhores experiências da minha vida! 

Qual história que a sua família conta sobre você?

Uma menina do interior do Goiás, muito estudiosa, esforçada e independente. Que queria muito mudar sua realidade através dos estudos, e que está conseguindo!

Como a sua família enxerga e entende seu trabalho?

Eles sabem que é na área de tecnologia e que eu sou Engenheira de Software, mas não entendem muito em detalhes o que faço, não. Mesmo que eu já tenha explicado várias vezes, risos.

Em que ano sua vida profissional começou?

Em 2016, como estagiária da área de métricas em uma fábrica de software de Brasília.  

Quem te inspirou a entrar na área da tecnologia? 

Sempre gostei muito da área de exatas, fui curiosa e sempre tive muita facilidade com tecnologia. Entrei em um curso geral de Engenharias na UnB (Universidade de Brasília) para definir qual área me especializar após dois anos. Me apaixonei pela Engenharia de Software depois de cursar uma matéria de programação durante esse período inicial do curso. 

Qual projeto foi mais desafiador para você na Grafeno?

Sem dúvidas, o maior desafio na Grafeno foi estruturar o Squad de Segurança e Qualidade do zero. 

O que a cultura remota da Grafeno agregou para sua vida? Como você organiza seu dia a dia?

Trabalhar de forma remota me permite ficar perto da minha família, ter mais tempo para realizar outras coisas além do trabalho e me trouxe muito mais qualidade de vida. Organizo minha rotina sempre iniciando no mesmo horário, fazendo algumas pausas rápidas durante o dia e trabalhando em um local reservado, onde possa me concentrar. É muito importante ter seu cantinho de trabalho, ferramentas adequadas e ter uma rotina bem definida. 

Se encontrasse seu eu de dois anos atrás, qual dica daria ?

Ser menos ansiosa e sofrer menos por antecipação: tudo vai dar certo no fim. Sou muito preocupada e isso me atrapalha às vezes. 

Dê um conselho para quem vai começar na área de tecnologia:

Aproveite todo material grátis disponível na internet. É um mundo de informações, e é possível aprender de tudo! Basta dedicação e força de vontade para buscar todo esse conhecimento disponível. E não desistir nos primeiros desafios,  serão muitos “nãos” no início, mas você só precisa de uma oportunidade de entrar no mercado de trabalho para que as coisas comecem a dar certo. Outro ponto é aproveitar o momento superaquecido da área de tecnologia em que estamos agora após a pandemia. Então, acho que para quem está pensando em entrar na área, esse é o melhor momento. 

Se pudesse resumir em poucas palavras, quais os benefícios que a Grafeno trouxe para você?
Trabalhar perto da minha família, mais qualidade de vida, tempo e segurança trabalhando de casa. Além de ser uma empresa onde sempre sou desafiada, valorizada e que aprendo muito todos os dias. 

 

Categorias

Publicações Recentes